SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE ITAPURANGA ENCAMPA LUTA CONTRA A PEC DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

 

 

Qual seria a melhor e mais eficaz maneira de se levantar e enfrentar o nosso possível opressor; este, que, insistentemente teima em, digamos, nos "lapiar", retirar da gente trabalhadora as duras conquistas alcançadas, e da sociedade brasileira economicamente mais vulnerável, as necessárias garantias sociais de sobrevivência? Não seria, primeiro, conhecer e reconhecer no "monstro" que, constantemente, ameaça, e por muitas vezes consegue, a mastigar e engolir nossas garantias, uma fera que deve ser confrontada, enfrentada e "convidada" a se postar em seu devido lugar? Então, para tanto, aos(às) lutadores(as), num instante inicial, não caberia o esclarecimento, a discussão, o debate e, por fim, os apontamentos proativos, que cimentem e dêem solidez às suas lutas?


Pois bem, a Proposta de Emenda Constituciona l-PEC: 287, a que propõe a reforma, ou o desmonte(?), da Previdencia Social já começou a incomodar a sociedade trabalhadora itapuranguense, visto que, na quarta-feira passada, 15 de março, dois protestos contra o referido Projeto, um de manhã e outro à noite, se realizaram pelas ruas da Cidade, e no período noturno de ontem, 21 de março de 2017, foi a vez do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itapuranga -que tem como Diretor Presidente, Heraldo Vieira- promover um encontro/palestra de esclarecimento aos(às) seus(as) sócios(as) e demais trabalhadores(as), sobre as grandes e graves perdas de direitos que podem sofrer caso a PEC da reforma da Previdência passe no Congresso Nacional.

 

Para o Evento Informativo, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itapuranga, em parceria com o Sindicato dos Empregados Assalariados Rurais do Município -Presidente, Adão Donizete Cruz- convidou, como preletores, o Diretor e professor da UEG-Itapuranga, Valtuir Moreira da Siva; o Assessor Jurídico da Entidade Classista, César Caixeta; o Presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Goás-FETAEG, Alair Luiz dos Santos e o Secretário de Políticas Sociais da referida Federação, Orlando Luiz da Silva, que foi o que por mais tempo falou, sendo enfático em seu pronunciamento ao apontar que, "não basta que os trabalhadores se aglomerem em Brasília, pois, os Parlamentares não vão ouvir nosso barulho. Não vamos conseguir ultrapassar a barreira feita pelos policias e seus cachorros. É necessário que pressionemos nossos vereadores e prefeitos, dizendo a eles que, se os Deputados e Senadores, os quais eles representam em nossa Cidade, votarem a favor da PEC da Previdência, nós jamais votaremos, tanto neles (vereadores) quanto em seus representados (Deputados e Senadores). A única coisa que político tem medo de perder, é o voto," finalizou o palestrante.

DOCENTES E ACADÊMICOS DA UEG PROTESTAM PELAS RUAS DE ITAPURANGA

 

 

Professores, acadêmicos da Universidaade Estadual de Goiás-UEG/Itapuranga, diversos docentes e alunos de Escolas Públicas Estaduais secundaristas do Município e demais pessoas da sociedade protestaram, na noite desta quarta-feira, 15 de março, contra a Proposta de Emenda Constitucional da Previdência Social, PEC: 287 e a Reforma Trabalhista pleiteadas e patrocinadas pelo Governo de Michel Temer.


O ato de repúdio às citadas Propostas, que coadunou com os movimentos paredistas realizados, hoje, Brasil afora, circulou por vàrias vias da Cidade, discutindo e contestando muitos outros pontos políticos e atitudes administrativas promovidas, tanto pelo presidente Michel Temer quanto pelo governador Marconi Perillo que, segundo os manifestantes, estão só a prejudicar e retirar garantias e direitos adquiridos dos(as) trabalhadores(as) e da população mais vulnerável da sociedade brasileira.

 

Depois de ter caminhado sobre um percurso considerável, os manifestantes, além de fazer um inflamado e rápido protesto em frente à Casa Legislativa local-na tentativa de sensibilizar os vereadores em prol das contestações, ora, em evidência-se concentraram diante do prédio do Paço itapuranguense, junto à Praça principal, fazendo duras falas contra, segundo os que pronunciaram, "as indecentes Propostas de Temer, que só servem para prejudicar os(as) trabalhadores(as) de todas as categorias desse Brasil."

 

Publicado originalmento no Facebook, final de quarta-feira, 15 de março de 2017

SINTEGO PROMOVE MANIFESTAÇÃO EM ITAPURANGA-GOIÁS

 


Localizada na Região do Vale do São Patrício, situada a 160 km de Goiânia, Capital do Estado, a cidade de Itapuranga-GO rememorou, na manhã desta quarta-feira, 15 de março de 2017, seus áureos tempos de lutas e resistências, então, promovidas pelos movimentos sindicais e sociais da Localidade.


Desta vez, com a idealização e organização do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado de Goiás/Sintego-regional Itapuranga, professores, alunos, administrativos de vários Colégios da Cidade e representantes dos trabalhadores rurais se manifestaram em frente ao Paço itapuranguense, junto à Praça principal do Município.


Na mobilização, que fez consonância com a paralisação nacional dos professores, ora, promovida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação-CNTE e.por diversos Movimentos Sociais e Centrais Sindicais, as pessoas protestaram contra a Proposta de Emenda Constitucional-PEC: 287, que propõe a reforma da Previdência Social e contra a Reforma Trabalhista, Proposituras que são pleiteadas e patrocinadas pelo Governo de Michel Temer. Reformas que, segundo os manifestantes, só penalizam os trabalhadores e promovem muito mais lucros ainda aos grandes empresários e rentistas do Brasil e do exterior.

 

O Protesto itapuranguense, que contou com a presença de docentes, administrativos e estudantes dos Colégios Estaduais Dep. José Alves de Assis, Zico Coelho, Joaquim da Silva Moreira, José Pereira de Faria e Colégio Estadual de Itapuranga-Ceita, também, teve a participação de parte dos Agentes Comunitários de Saúde do Município.. Depois de mais de uma hora e meia de pronunciamentos e repúdios promovidos, via microfone de carro de som, por homens e mulheres de diversas categorias trabalhistas e estudantis, o coordenador de comunicação do ato, Sebastião Rafael Gontijo (Professor Lobó), antes de finalizar aquela mobilização matinal, fez o convite para que todos(as) voltassem a se reunir, no início da noite de hoje, para um novo protesto, que será promovido por professores e acadêmicos da Universidade Estadual de Goiá-UEG/Itapuranga, e que se realizará em frente à Câmara Legislativa da Cidade.

 

Publicado originalmente no Facebook, início da tarde de quarta-feira, 15 de março de 2017

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
Visitante número: